A crise e o vendedor de cachorro-quente

A crise e o vendedor de cachorro-quente

Um homem vivia à beira de uma estrada e vendia cachorros-quentes. Não tinha rádio, não tinha televisão e nem lia jornais, mas produzia e vendia os melhores cachorros-quentes da região.

Preocupava-se com a divulgação do seu negócio e colocava cartazes pela estrada, oferecia o seu produto em voz alta e o povo comprava e gostava.

As vendas foram aumentando e, cada vez mais ele comprava o melhor pão e as melhores salsichas. Foi necessário também adquirir um fogão maior para atender a grande quantidade de fregueses.

O negócio prosperava, os seus cachorros-quentes eram os melhores!

Com o dinheiro que ganhou conseguiu pagar uma boa escola ao filho. O garoto cresceu e foi estudar economia em uma das melhores faculdades do país.

Finalmente o filho já formado voltou para casa, e notou que o pai continuava com a vida de sempre, vendendo cachorros-quentes feitos com os melhores ingredientes e gastando dinheiro em cartazes. Assim, teve uma séria conversa com o pai:

– Pai, não ouve rádio? Não vê televisão? Não lê os jornais? Há uma grande crise no mundo. A situação do nosso país é crítica. Temos que economizar!

Depois de ouvir as considerações do filho “doutor”, o pai pensou: Bem, se o meu filho que estudou economia na melhor faculdade, que lê jornais, vê televisão e internet, acha isto, então ele só pode ter razão!

Com medo da crise, o pai procurou um fornecedor de pão mais barato (e, é claro, pior). Começou a comprar salsichas mais baratas (que eram, também, piores). Para economizar, deixou de mandar fazer cartazes para colocar na estrada. Abatido pela notícia da crise já não oferecia o seu produto em voz alta.

Tomadas essas “providências”, as vendas começaram a cair e foram caindo, caindo até chegarem a níveis insuportáveis.

O negócio de cachorros-quentes do homem, que antes gerava recursos… Faliu.

O pai, triste, disse ao filho: – Estavas certo filho, nós estamos no meio de uma grande crise.
E comentou com os amigos, orgulhoso:

– Bendita a hora em que pus o meu filho a estudar economia, ele foi quem me avisou sobre crise…

O que podemos aprender com isso?

Infelizmente essa história é a realidade de uma grande parte dos empresários brasileiros.

Algumas pessoas se preocupam demais com a opinião dos outros e esquecem de analisar a situação. É claro que devemos ouvir o que os outros tem a dizer, principalmente quando o que eles “acham” é diferente do nosso ponto de vista.

Quem me conhece sabe que sempre digo que gosto de discutir com pessoas que tem a opinião diferente da minha, falo isso porque como todo ser humano eu também erro, e se em um determinado momento eu estou errado e não dou ouvidos a uma pessoa que pensa diferente de mim eu posso perder uma chance de reconhecer meu erro e mudar.

E acredite, se você está errado é melhor e mais barato mudar o quanto antes.

Em alguns momentos o País passou por momentos difíceis, e é comum as pessoas falarem em crise, mas sinceramente, crise só existe para quem não se planeja ou para quem acha bonito falar “é a crise”. Fuja do Efeito Manada, não saia simplesmente repetindo o que ouve por ai.

Nessa última “crise” não me senti nenhum pouco abalado. Não falo isso me sentindo superior as outras pessoas mas é porque aprendi que não existe crise para quem não tem medo de trabalhar.

Nos momentos de dificuldade surgem ótimas oportunidades para quem está sempre atento.

Se você gostou do conteúdo compartilhe e divida esse conhecimento com mais pessoas. Se tem alguma dúvida ou sugestão pode usar a parte de comentários logo abaixo.

Obrigado e um grande abraço.

Comentários